Foodie | MUDA

Em Abril tive o prazer de estar presente num jantar especial: o Muda, na zona das Galerias, cá no Porto, recebeu-nos num Zomato Foodie Meetup de mesa cheia de curiosos com muita vontade de experimentar o que de melhor tinham para nos mostrar.

O Muda funciona como restaurante no piso superior e como bar no piso inferior - quem conhece as Galerias no Porto sabe bem o estilo: moderno, acolhedor, com uma iluminação perfeita para um jantar calmo, demorado, para um café, um copo e, mais lá para o fim da noite, um pé de dança.






Depois de uma breve explicação do conceito do Muda e de como ele tem mudado - ah! - ao longo do tempo, abrimos as hostes com um couvert com vários tipos de pão confeccionados no restaurante, quentinhos e saborosos, manteigas aromatizadas, azeite e azeitonas. Chegava depois a altura das entradas: ceviche de peixes e bife tártaro, gema, rúcula e tosta de pampernickel como entradas frias - sendo o tártaro, sem dúvida o meu favorito e será o motivo pelo qual terei que voltar! - e ovos rotos com cogumelos e espargos e salmão curado em vodka e beterraba, migada de edamame e shitake grelhado como entradas quentes. Todas recheadas de sabores cuidados e escolhidos a dedo, com uma apresentação irrepreensível.

Moda & Companhia | Summer is callin'!

Abençoado seja o bom tempo, que veio quebrar a onda desesperante dos dias frios e chuvosos e tirar-me dos meus blues de inverno-sem-fim. Os poucos dias de chuva pelo meio já não me assustam, porque finalmente sei que os dias bons chegaram para ficar: os dias de sair do trabalho e aproveitar para dar uma corrida (viram os meus stories? Estou a conseguir manter a coisa!), os dias de comer na minha rica mesinha da varanda (a alegria da criança por ir ao IKEA comprar uma mesa e duas cadeiras!), os dias de aproveitar os tempos livres para passear e tirar proveito do mundo!

E o bom tempo pede coisas giras, pede frescura, e se a semana passada fugi para os brincos que planeio ganhar coragem para usar, hoje falo-vos daquilo que sei que não vai sair de rotação: roupa gira, leve, e de cores vivas! Dou por mim com uma necessidade absurda de rosas, amarelos, azuis vivos, verdes, vermelhos, branco, e tudo mais que me quiserem atirar. Talvez como reacção aos longos dias cinzentos - muito provável, eu diria.

Então, siga espreitar o que há por aí - deixo-vos sugestões da Rosegal de algumas peças semelhantes a algumas que tenho e que vão rodar como loucas nesta Primavera e Verão. As palavras código são "cores bonitas".

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | more
Inspirei-vos para o fim-de-semana? Toca a aproveitar!

Post patrocinado. Todas as opiniões são pessoais e verdadeiras, não sendo da minha responsabilidade qualquer acção comercial da marca.

Enjoy + Fórum de Ideias | Movie 36 | Da força [das mulheres]

O mês de Abril foi recheado de murros no estômago no que diz respeito ao que vi para o nosso Movie 36. Desde histórias que me puseram a pensar sobre outras realidades bem mais difíceis do que a minha, a documentários que me deixaram de boca aberta e com visões completamente opostas sobre o futuro: medo e esperança.


A verdade é que tudo o que vos trago este mês nos fala de Força. Dos seus resultados, da sua persistência, ou até da falta dela. Da força para passar por cima das adversidades, de lidar com o que de mau acontece, ou de nos deixar ir abaixo. Da força para resistir à tentação de seguir com o status quo ou de o quebrar e defender o que nos parece correcto e nos chama. Da força de perceber que somos humanos, e não máquinas, e de procurar o sentido de tudo isto.

Poderia apresentar-vos aqui as minhas certezas: que nunca deixaria a minha Mãe sozinha se a visse perder-se de si mesma; que nunca tomaria estimulantes para ganhar poderes sobre-humanos e produzir como uma máquina; que nunca pensaria que uma mulher não pode ser astronauta. Mas a verdade é que também tenho os meus momentos de egoísmo; também já fiz asneiras só porque "sabe bem", mesmo sabendo que prejudicava a minha saúde; também escolhi uma área que seria a minha segunda opção porque na que mais me atraía "nunca me vão dar trabalho naquilo que eu realmente quero". É fácil escrever-vos mil certezas sentada no escritório, sem a realidade a bater-me à porta. Mas quando temos que realmente decidir, é inegável que a sociedade em que estamos inseridos, o nosso ambiente familiar, os nossos exemplos, vão, sem dúvida alguma, influenciar-nos. E, por isso, a única certeza que sei que não está errada é a de que devemos sempre pôr a mão na consciência e pensar nas consequências de cada um dos passos que tomamos. E ter a Força para decidir pelo que realmente faz sentido.

Um Quente Agosto conta-nos a história de uma família completamente disfuncional, que funciona à sua maneira. É um filme intenso, verdadeiro, cru, que nos mostra o lado negro do amor: a manipulação, o sentimento de posse e de perda, a incompreensão e a sensação de injustiça. Conta com um elenco de luxo que faz jus à história que é contada: Meryl Streep, Julia Roberts, Chris Cooper, Ewan McGregor, entre outros.


Photo + Personal | O meu primeiro Casamento e os passos seguintes

Há um ano atrás fiz o meu primeiro trabalho como fotógrafa, graças à Joana e ao Mário que colocaram uma parte das memórias de um dos dias mais mais importantes das suas vidas nas minhas mãos com uma confiança que eu, confesso, não conseguia ter quando via o dia aproximar-se, mas que lhes agradeço de cada vez que penso nisto. Há um ano atrás eu estava uma pilha de nervos, que não pararam de crescer a partir do momento em que aceitei o convite de um amigo que iria fazer o vídeo do casamento deles. A única certeza: daria o melhor que podia! E, como sou feita de dúvidas, deixei duas perguntas para vocês no fim do post - dão-me uma ajuda? :)





Sei que era muito mais profissional e "parecia bem" dizer que sabia que estava preparada, que sabia que nada ia falhar, que faria tudo exactamente igual se fosse hoje. Mas isso seria assumir que há um ano sabia tudo o que precisava, ou que hoje sei tudo. Pois bem, não poderia estar mais longe da verdade e, à laia de honestidade, devo dizer que até hoje o síndrome de impostor me assola, sem saber muito bem como é que dei conta do recado. Mas a verdade é que até dei e posso até dizer que estou contente com o que daqui saiu.