Retratografia | Special Effects

Depois de uma vergonhosa ausência, volto pondo o calendário de publicações em dia: hoje há Retratografia! Para Março, a Catarina desafiou-nos a explorar efeitos especiais - Special Effects. E eu confesso que só consegui começar a pensar nisto já Abril estava bem avançado.

Assim sendo, e apesar de já ter algumas ideias, sinto que foi um pouco em cima do joelho. E ainda assim, tive alguns resultados surpreendentes e outros que...bem, foram um flop, para dizer a verdade! Vamos a isso?

Light painting


A surpresa desta edição: gosto mesmo desta imagem. Correu melhor do que estava à espera - para ser perfeita para mim, só faltava estar perfeitamente focada! Já tinha feito algumas experiências com esta técnica no passado, mas estamos sempre a aprender!

Flash + Longa Exposição


Aproveitando um passeio pelo Porto, pedi ao Zé e à Náná que fossem meus cúmplices. Queria uma imagem urbana, dinâmica e crua. Não foi o resultado perfeito (teve direito a muitos acidentes e podem ver um dos resultados mais abaixo), mas depois de muita edição de cor cheguei a algum lado.

Dilúvio - ou uma viagem ao centro de nós

DILÚVIO. Um verdadeiro dilúvio de pensamentos. Bem sei que este espaço já começa a parecer um cartaz cultural, mas juro que não vos desiludo com esta sugestão.

A residência artística de que vos falei o ano passado regressa pelas mãos da in skené, agora com um novo nome: FORA. O conceito é o mesmo: dar voz a artistas profissionais e trazê-los para perto do nosso público. E traz-nos DILÚVIO, uma criação de Diogo Freitas a partir de textos de Ricardo Neves-Neves. É uma reflexão viva, sagaz e curiosa sobre os nossos dias - aqueles, desde que Noé lidou com a bicheza, e até aos dias em que vivemos para ir para o escritório. Esses todos.




Nas palavras do Diogo Freitas:

"Noé,
Serão vocês sempre como Píramo e Tisbe, entre muros erguidos, só para se apaixonaram através das fendas e se matarem no fim?
Olha em volta.
A Liberdade foi presa por ser uma palavra de acentuação grave.
É necessário fazer um reset.
R-E-S-E-T.
R-E-S-I-S-T-I-R.
Re-existir!
Pega na van e faz-te à estrada, que isto por cá vai tudo na enxurrada.
Quantas vezes? Quantos resets?
Pode ser que voltemos ao mesmo... mas mais devagar..."

"[...] gostava muito que as pessoas se sentassem e parassem um pouco as suas vidas que estão a mil à hora e que nos escutassem. Porque o que está a ser dito aqui neste palco é um alerta, uma chamada de atenção. Existem mil e uma formas de dilúvio: pessoais, comunitárias, literais, metafóricas. Espero que isto ecoe, seja de que maneira for.
Este espaço é um espaço muito marcado mas com margem para a individualização de cada espetador." (em entrevista ao Coffeepaste)

Seis personagens (e um blog) à procura de um autor

É amanhã. É já amanhã que estreia o motivo da minha ausência por estas paragens! Seis personagens à procura de um autor é a nova peça da in skené, minha casa do coração, com encenação de Fábio Pinto e um elenco maravilhoso com quem tenho partilhado os meus dias. Se quiserem ver o resultado, venham até ao Auditório Municipal de Gondomar entre os dias 27 e 31 de Março e prometemos dar-vos a volta à cabeça com tanta reviravolta!





Mais uma viagem alucinante, de muito trabalho, empenho, criação e, agora, nervosismo - hoje à noite temos o ensaio geral e já estou uma pilha mas, ao mesmo tempo, e como diria a minha querida Julieta, "mortinha de desejo por viver esta cena!".

Mulher

Agradeço todos os dias a quem lutou para que eu pudesse ser reconhecida pelo trabalho que faço. A quem lutou para que eu vote. Para que eu use calças. E saias. Para que eu tenha uma voz. Para que eu não seja obrigada a ser "recatada" e "do lar". Para que eu possa escolher se quero ser do trabalho, da família, ou das duas coisas.


Tenho ao meu lado um Homem que não "ajuda": faz a sua parte. Um Homem que nunca teve inseguranças por algo que eu fiz, e que nunca me puxou para trás só para parecer mais forte, melhor. Um Homem que me respeita - sem tretas de eu ser uma princesa, sem floreados ou condescendências. Respeita-me por ser eu. Uma pessoa.

No entanto, reconheço o meu privilégio. 

Só porque eu sinto que tenho voz, não quer dizer que não haja mulheres que se vêm silenciadas somente por serem, precisamente, mulheres. Só porque eu recebo um salário que está em linha com o dos meus colegas, não quer dizer que não haja quem receba menos do que os seus companheiros, homens. Só porque eu ando sozinha, não quer dizer que não me sinta insegura e, ocasionalmente, veja essas inseguranças confirmadas. Só porque eu saio à rua sozinha à noite, não quer dizer que não tenha medo - e o molho de chaves que levo espetado entre os dedos e que já estive quase a usar não me deixa mentir. Só porque eu não sou escrava em casa, não quer dizer que não haja muitas mulheres que continuam a prolongar, promover, e a sofrer esta escravatura socialmente aceite. Só porque eu tenho um Homem ao meu lado, não quer dizer que não haja muita - MUITA - gente que tem autênticos bichos em casa. E bichos na polícia e nos tribunais que defendem os primeiros bichos.

Não, ainda não estamos tod@s no mesmo patamar, por muito que haja quem diga que sim. Neste Dia da Mulher leiam as notícias, leiam as estatísticas, importem-se, façam-se ouvir e respeitar. Hoje e todos os dias. Se eu preferia que não fosse necessário haver um dia dedicado a nós? Preferia. Mas infelizmente é um mal necessário.

Ah. E não me venham dizer que as feministas são todas umas histéricas, camionistas, mal fodidas, porque eu sou menina para vos atirar com um batom à cabeça (e se fossem, atirava na mesma).

Feliz Dia da Mulher?

Em serviços mínimos

Ufa. Ufa ufa ufa. Dias loucos, de loucos, que só um louco aguenta. Ou uma louca, neste caso! Lá ando eu, como vos confessei neste post, a correr a mil, a fazer muito e com pouco - perto de nenhum - tempo livre. Mas, verdade seja dita, faço-o por gosto. E quem corre por gosto, não cansa. Mas precisa de gerir o esforço! E até ao dia 31 deste mês, dia da última exibição de Seis Personagens à Procura de um Autor, a peça que a in skené levará a cena, estarei portanto em serviços mínimos.

Coat - Vintage | Jeans - NetJeans | Boots - Mango | Sweater - Lefties | Earrings - @thrifting_em_portugues
Fotografia - José Santos



Esta segunda-feira foi dia de folga. Precisava de aproveitar esta ponte, deixar a cabeça descansar, para regressar ao trabalho, à in skené, ao blog, com ânimo e motivação. Às vezes é preciso tempo para respirar. E para uma francesinha há muito prometida e que me deixou mutio feliz :p