Outfit + Photo | Auto-retratando: breves dicas

Há uns dias - nesses em que o tempo estava tão farrusco que nem apetecia sair de casa - resolvi entreter-me com uns auto-retratos rápidos. Já não o fazia há uns tempos (na verdade não me recordo quando foi a última vez que o fiz!) e, apesar de ter sido coisa rápida, reavivou em mim o bichinho que cá existia há uns anos. E, por isso, resolvi trazer-vos hoje algumas dicas para poderem fotografar sozinh@s, em casa.

Sweater - Thrifted | Jeans - c/o Rosegal | Shoes - Converse | Necklace - Parfois


1. Tripé: o vosso melhor amigo. Isso, ou uma pilha de livros, uma cadeira, o que a imaginação pedir. O tripé é mais versátil por vos permitir variar os ângulos, altura e perspectivas da câmara sem grandes restrições, mas é claro que outra superfície servirá, com alguma imaginação e acessórios à mistura. O importante é conseguirem colocar a vossa objectiva como querem, no ângulo que querem.

2. Luz: uma das vantagens de fotografar dentro de portas é que a luz não varia tão rapidamente como se estivessem ao ar livre com nuvens a passar, por exemplo. Portanto, aproveitem para brincar com luzes e sombras, pensem da direcção em que a luz vem e ajustem a sua intensidade. Por exemplo, neste caso, eu quis aproveitar bem as sombras para uns contrastes fortes, pelo que optei por usar ângulos em que a luz da janela viesse lateralmente.




3. Poses: outra vantagem é o facto de estarem "sem vigilância". Sem medos, brinquem com as poses, sejam mais arrojad@s - afinal de contas, ninguém está a ver! E se as fotos ficarem uma vergonha, basta apagá-las (ou escondê-las numa pasta nos arrumos do vosso PC).

Fórum de Ideias | A Cultura de Engate: Liberdade vs Loucura

Já foi em Fevereiro que vi um documentário que me deixou em estado de choque - e tenho mantido este post aqui nos rascunhos por ter medo que alguém me diga que não é só um fenómeno nos Estados Unidos. Liberados: A Nova Revolução Sexual, da Netflix, que vi nos Instastories da Dana Suchow, chamou-me a atenção e quis conhecer melhor a realidade que mostra.

Este documentário retrata os comportamentos dos adolescentes que vão na sua viagem de finalistas, num ambiente equivalente ao dos nossos finalistas de 12º ano em Lloret del Mar. A diferença? O nível de irresponsabilidade, parece-me. Não sou, de todo, apologista deste tipo de viagens: hormonas, álcool, e o sangue na guelra próprio destas idades são o cocktail explosivo perfeito. Em todo o caso, entendo perfeitamente que se queira uma semana de loucura memorável - faz parte da idade, não o negoO que não entendo é o nível de irresponsabilidade e de falta de respeito pelo próprio e pelo outro a que se chega, com consequências desastrosas.


Os próximos parágrafos que vão ler foram escritos mal acabei de ver o documentário - tudo fresco, portanto.

No centro de tudo: o sexo, a imagem social, a pressão de pares, a necessidade de ser validado.

EDIT: este post não é, de maneira nenhuma, uma defesa que não podemos fazer x ou y, ou de que não podemos ser/agir de forma mais sensual, ou que não podemos publicar uma foto mais sexy se assim o desejarmos. Eu também o faço quando quero, e isso faz parte da minha identidade. Apenas pretendo levantar uma reflexão sobre a valorização que damos a estas questões, e o impacto que a pressão social nos impõe na hora de nos definirmos como indivíduo. Seguindo:

Moda & Companhia | T-shirt Time!

Admito. Falhei redondamente na última wishlist. Cheia de confiança que o bom tempo tinha chegado, já vinha com vestidos e sandálias e tudo mais e...olhem, estou triste. Mas não largo o osso! O Verão pode ainda não ter chegado mas eu recuso-me a pensar em roupas quentes e já só quero é t-shirts e tops e tudo e tudo e tudo (e dizem que hoje o tempo melhora, por isso estou confiante). E um casaquinho para pôr por cima, já agora. Unf. Anyway, andei a espreitar a Zaful e as novidades que por lá tinha e devo confessar: difícil é escolher só uma!

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
Quando acabei a minha "selecção" apercebi-me que estou com uma fixação qualquer com o branco - deve ser por causa deste tempo deprimente, já só quero luz e leveza! Isso e umas mensagens giras, divertidas e que arranquem uns sorrisos do rosto. Incluí também a bela da t-shirt básica branca porque, bom, é daquelas coisas que nunca falha: em caso de dúvida, calças de ganga, t-shirt branca, e está a base de qualquer conjunto feita! Perfeito para os dias animados do Verão em que os planos mudam a meio do dia. E que nunca mais chegam. Raios.

Qual é que vocês escolhiam? :)

Post em parceria com a marca. Todas as opiniões são pessoais e verdadeiras, não sendo da minha responsabilidade qualquer acção comercial da marca.

Outfit | Carnival

Faça chuva ou faça sol, faça frio ou calor, haja crise ou fartura, há coisas que nunca mudam. Tradições que ficam e que alimentamos com gosto. Não sei se é uma coisa dos portugueses ou se é do ser humano em geral, mas estas bolhas de conforto em que depositamos alguma da alegria dos nossos dias sabem tão bem e são tão nossas!

Shoes - Lefties | Jeans - Stradivarius | T-shirt & Jacket - Bershka | Bag - Pimkie (Thrifted)
Fotografia de José Santos


Uma das que guardo com gosto é a de ir ao Senhor de Matosinhos todos os anos. E se, quando era miúda, vivia numa excitação sem comparação porque vivia para aqueles carrosséis e aquelas farturas, agora a excitação, mais discreta mas igualmente pungente, ataca-me pelas ruas cheias de gente, as cores e as gargalhadas, a animação e a quebra da rotina, as loucinhas e coisas giras ao preço da chuva e...as farturas!

Foodie | Já voltei à Rota de Tapas!

Estou a considerar seriamente criar uma categoria neste estaminé só para este evento: a viciada na Rota de Tapas Estrella Damm ataca de novo - e como não pude ir logo no primeiro fim-de-semana, já compensei e fui duas vezes em três dias!...alguém me ajude. Bem, passando ao que realmente importa: o que é que temos nesta edição? Sete cidades ceias de sugestões para petiscos deliciosos: Lisboa, Porto, Braga, Faro, Aveiro, Évora e Viseu (kudos por estenderem a iniciativa para além dos locais do costume!). O funcionamento é o mesmo: uma cerveja e uma tapa por 3,00€. Podem tapear até ao próximo dia 10 de Junho, por isso toca a aproveitar já o fim-de-semana!


E agora, as minhas escolhas e as minhas favoritas - para mudar um pouco o esquema habitual, vou colocar as tapas por ordem da que mais à que menos gostei...dentro do possível!





Será difícil definir bem a coisa entre as três ou quatro primeiras (porque adorei todas!) mas acho que o Bao's leva a taça! O Pepper Pork Bun, um pão recheado com uma almôndega de carne de porco picada envolta em 3 tipos de pimenta e cebolete, conquistou-me. Apesar de um pouco seca demais, o tempero da carne é óptimo (ainda mais para uma viciada em pimenta como eu!), acompanha perfeitamente a cerveja e, diga-se, é uma tapa bem servida.