Personal | Como chegar a Horas - ou - Crónicas de uma Atrasada

Não tenho qualquer orgulho naquilo que vou escrever de seguida: sou daquelas que chega sempre atrasada. Reconheço que não sou um caso crítico de "vais esperar por mim 20 minutos e eu vou chegar à tua beira como se nada fosse", mas os 10 minutinhos "do charme" são garantidos. E mais do que fazer com que as outras pessoas se passem comigo, esse atraso faz-me sentir-me uma pessoa horrível e, no entanto, é recorrente - mas se eu não gosto disto e sei que o faço, porque é que deixo que aconteça?!

A verdade é que não sei responder. Parece sempre que o tempo é suficiente para fazer tudo antes de me pôr a caminho e, do nada, escorre-me por entre os dedos e quando são horas de estar sei-lá-onde, estou eu a pegar na carteira e a sair de casa a correr (e potencialmente a deixar metade das coisas que devia trazer comigo para trás). Acrescentemos a isto um feitio que fica rabugento quando está stressado, e que fica stressado quando ando a correr, e temos um cocktail explosivo.

Assim sendo, vou meter mãos à obra: tenho - TE-NHO - que começar a ser mais pontual. Então qual é o meu plano?

1. Rodear-me de relógios

E já comecei: este relógio que coloquei na parede da cozinha está literalmente à frente do meu spot para o pequeno almoço. É impossível não ficar atenta às horas e deixar-me ir na ronha do sol matinal. Portanto, ou acordo cedo, ou não há manhãs calmas para ninguém - e a propósito,
as dicas que escrevi neste post estariam a funcionar melhor se eu de facto me deitasse mais cedo. Ainda não pegou. Já me levanto mais cedo mas continuo a correr!

No quarto já está o despertador, agora falta um na sala, e o do escritório estaria lá se o gato não o tivesse partido. lol

Clock - c/o Rosegal

Photo + Travel | Seia e a Serra

Estando a ressacar gravemente pelo bom tempo (a sério) e por uns dias ao sol, resolvi recordar as minhas mini-férias do Verão passado, passadas em Seia, incluindo também algumas imagens do início da Primavera de 2017, em que pus os pés na neve da Serra da Estrela. Se vou mostrar por aqui uma das minhas zonas preferidas do país, mostro-vos já como é bonita em qualquer altura do ano!






Se no início da Primavera fui lá só de visita e passei um dia na melhor companhia e com as melhores vistas, capazes de cortar a respiração tanto pela sua beleza como pelo frio que se fazia sentir, já no Verão tive umas mini-férias perfeitas para recarregar baterias. Nesta última visita, fiquei alojada na Quinta do Crestelo, e não poderia recomendar mais este local.

Ficamos num pequeno mas acolhedor e agradável apartamento, com todas as comodidades e num edifício lindo, rural e com uma luz belíssima - e uma vizinha de quatro patas que animou a nossa estadia! Dentro do complexo encontram uma piscina com um relvado à volta e um terreno sem fim a explorar, cheio de natureza e recantos bonitos. Até o restaurante é muito bom e tem um ambiente muito simpático.

Outfit | Chubby Bunny

Há duas condições que imponho ao que visto para que me possa sentir bem: tem que me deixar confortável (ou seja, segura), e tem que bater certo com o meu estado de espírito. E, embora queira estar em modo "é Primavera e a vida é uma festa", a verdade é que ainda estou mais em mood de "Domingo é dia de ronha mas pronto, se formos sair eu faço um esforço". E cá está, o conjunto de hoje é o esforço!

Dress - Sfera | Coat - Thrifted | Scarf - Primark | Bag - Zara | Boots - Mango
Fotografia de José Santos


Ainda apetecem os cachecóis e os casacões de malha. Em modo de negação, lá insisto em mostrar as pernas, mas só quando sei que não vou andar muito tempo na rua. Mas o conforto tem que estar lá - a roupa não foi feita para nos obrigar a nada nem para nos fazer duvidar de nós mesm@s, mas sim para nos fazer sentir bem. Portanto, seja de mini-saia ou com um casacão de malha, ou com os dois ao mesmo tempo, o que importa é que nos sintamos bem!

Enjoy + Photo + Personal | La Ronde e o trabalho com os melhores

A ideia borbulhava há anos: fazer uma residência artística em Gondomar. Quando o Carlos Vieira acreditou em nós e propôs que a in skené levasse o sonho para a frente, automaticamente aceitamos o desafio, e assim nasceu o Residências: um projecto de residência artística com contornos internacionais, que na sua primeira edição junta actores e companhias de duas cidades geminadas - Gondomar, no Porto, e Feyzin, em Lyon. Queremos trazer a cultura a tod@s, a todo o lado. E estamos a fazê-lo!






La Ronde, a partir do texto de Arthur Schnitzler, com tradução de Sofia Araújo, encenação de Alexis Henon, e interpretação de Ana Catarina Vigário, Carlos Vieira, Nuno Nolasco e Sarah J. M'rad, estreia hoje e estará em cena até 7 de Abril, às 21h30 no Auditório Municipal de Gondomar. Partimos depois para Lyon, de 25 a 28 de Abril no Thêatre Le Rex em Feyzin.






A verdade é que não poderia estar mais entusiasmada com tudo isto. A oportunidade de fotografar estes quatro magníficos, de aprender com quem faz disto profissão, de ver e aprender novos métodos, movimentos, visões em palco, e, confesso, de perceber que nós só somos "amadores" porque fazemos isto com amor e voluntariamente - porque não ficamos a dever nada aos profissionais. 

Photo | A Beautiful Week | Março

Chegamos ao último dia do mês: é dia de A Beautiful Week, o nosso desafio mensal com base no curso Capture Real Life in 52 Weeks do blog A Beautiful Mess. Para este mês, confesso, acabei por usar poucas imagens fotografadas de propósito para o efeito. Tanto porque houve pouco tempo, alguma preguiça, e falta de ideias, como por achar que tive boas imagens a passar-me pelas mãos que gostava de publicar por cá. Portanto, vamos a isso?

Week Nine - Vulnerability



Vulnerabilidade. Este tema fomos nós que escolhemos e, confesso, gostava de ter conseguido "mais", ou contar uma história minha aproveitando-o. Mas as ideias foram poucas e nenhuma que me agradasse, portanto acabei por ver o que conseguia por outros pontos de vista.

A primeira imagem é resultante de uma das sessões fotográficas que mais gozo me deu fazer desde sempre: um jogo feito num bar para a nova produção em que a in skené está envolvida: La Ronde, com participação de Carlos Vieira, Nuno Nolasco (sim, esses!), Ana Catarina Vigário e Sarah m'RAD, e encenação de Alexis Henon, num projecto internacional que nos levará também a Lyon, o Residências! Eu que conheço a história consigo facilmente associar o que vejo aqui ao tema, mas se quiserem perceber o porquê convido-vos a irem ao Auditório Municipal de Gondomar entre dias 4 e 7 de Abril, às 21h30! Prometo que vão ter uma noite trilingue brutal (em português, francês e inglês!)!

A segunda imagem traz-nos uma amostra do que a Natureza sofreu este ano, da sua fragilidade, e de algo que espero honestamente que não se repita. E é tão fácil acontecer...


Week Ten - Where You Live


Clock - c/o Rosegal

A ideia deste tema era sairmos à rua e procurarmos o que nos encanta na zona onde vivemos ou na nossa cidade. Ora, eu estou farta de mostrar isso por cá - podem ver nos meus posts com fotografias do Porto, nas sugestões gastronómicas que vou dando, em muitos dos meus posts de fotografia... - portanto, acabava por ser redundante. Acabo portanto por optar por mostrar um dos locais que tem sido perfeito para relaxar nos fins de tarde em que a chuva dá tréguas e um pormenor da minha cozinha que foi uma adição importantíssima na minha rotina e que me tem ajudado imenso! (A propósito, ainda gostava de fazer uma "tour" cá pela casa, interessava?)


Week Eleven - Portraits of Loved Ones



Escolhas fáceis: o Zé e os meus gatos que ficaram em casa dos meus pais. No mês em que o Bao se mudou cá para casa e em que abandonei oficialmente a ideia de trazer estes dois e prendê-los num apartamento, pareceu-me correcto e merecido fazer-lhes esta pequena homenagem. E, já agora, deixo-vos a sugestão: visitem a página da Vivanimal, que dava casa ao Bao, e se possível ajudem-nos - estão a recolher fundos para construir um precioso e necessário abrigo novo!

A ideia do projecto não era esta mas implicava melgar mais do que eu queria - um dia vou pô-la em prática e mostro-vos os resultados!


Week Twelve - Black and White



Para terminar, deixo mais duas imagens da La Ronde e renovo o convite! Se me deu tanto gozo fazer estas fotografias, só nos poderá dar ainda mais gozo assistir a peça. E ao vivo e a cores, que para mim deixam tudo sempre mais bonito, embora não negue a magia de uma boa imagem a preto e branco!

E para finalizar, os posts do restante grupo também já estão prontos a ser espreitados:


Enjoy + Personal | Movie 36 | Da Persistência

Três filmes em Março, os três completamente diferentes - e ainda assim consegui ver neles algo em comum: viva a persistência! 


É algo que me falta, confesso: há uma diferença entre ser teimosa e ser persistente. Teimosa, às vezes sou - nem que seja só para ter o prazer de dizer que "fiz" algo ou que tenho razão. Já persistente... só se for algo em que acredito mesmo muito. Sou optimista no que toca a acreditar que tudo vai ficar bem, mas muitas vezes é pela via do "as coisas resolvem-se" e não tanto pelo "eu vou fazer acontecer".
Olá curso de fotografia em que nunca me inscrevi porque "para quê?"; olá guitarra encostada no meu sótão porque "nunca vou conseguir aprender isto"; olá formação em teatro na qual nem me inscrevi porque "nunca vou passar nos castings"; olá desporto que nunca fiz durante mais de três meses seguidos. Nem sei como é que este blog já vai a caminho dos três anos - eu devo gostar mesmo disto!

Anyway, que a hora já vau tardia e possivelmente o sono estará a fazer-me escrever mais do que queria, a lição que vejo em comum em todos estes filmes é incrivelmente relevante para mim: às vezes, vale mesmo a pena insistir naquilo em que acreditamos, mesmo que tenhamos muitas dúvidas. What if...

O primeiro filme do mês contou com o que considero ter sido a melhor interpretação que vi nos último tempos: digam o que disserem do homem, mas lá que o Gary Oldman esteve genial no Darkest Hour, isso não se pode negar. Para além disso, todo o lado histórico, a descoberta de alguém tão sui generis e a imagem global deste filme não nos pode deixar indiferentes. A não perder!



Foodie | Chá das Cinco

Se ainda não ouviram falar deste espacinho mimoso aqui pelo Porto, quase podem considerar isso um milagre. Eu ando sempre a ser provocada por fotografias bonitas e comida de aspecto delicioso - a culpa é da Ana Alexandre e da Jo, que tanto falam neste cantinho dos deuses que me deixam com vontade de voltar! E neste domingo preguiçoso, em que tinha imensa coisa para fazer mas não podia deixar de aproveitar um pouco as tréguas que a chuva deu, decidi - finalmente! - regressar e levar ao Zé ao sítio de que já lhe tinha falado mil vezes.

O Chá das Cinco é um dos espaços aderentes ao Zomato Gold - um serviço com o qual podem ter um prato gratuito na compra de outro em restaurantes do Porto e Lisboa, e um desconto de 25% na subscrição se usarem o meu código JOANAI.




O Chá das Cinco é acolhedor, de cores claras e decoração leve, com um atendimento super simpático - mesmo! - e bebidas e comidas capazes de fazer salivar o mais exigente dos clientes. Não digo isto só por dizer: sou miúda de almoços e jantares, por isso é difícil deixar-me verdadeiramente entusiasmada com lanches e bolos.

Beauty | I'm blue da-ba-dee-da-ba-dae

Provavelmente as últimas fotografias malucas dos próximos tempos - em contexto de "fui cortar o cabelo sem saber como ia sair de lá", quero eu dizer. Lembram-se deste post? Repeti a experiência, mas agora para fazer parte de um catálogo. E foi assim que acabei com o cabelo às madeixas que vos mostrei por cá! Quem diria que este meu cabelo teimoso ainda me iria render uns trabalhos como modelo, com direito a ser maquilhada pela talentosa Azoretta?!


A verdade é que, por muito que eu goste de o ter curto - que gosto! - começam a esgotar-se as variações de corte e, sendo honesta, a previsão de três casamentos para este ano deixa-me com vontade de o deixar crescer. O camaleão que há em mim começa a sentir-se aborrecido até do lado "diferente" deste cabelo curtinho. E, por isso, venha daí o bob - estamos no bom caminho.

Fórum de Ideias | ACMA | A Bolha

Este mundo cheio de tecnologia, cheio de informação, em que quase é escandaloso haver um recanto sem Wi-Fi e em que podemos escolher a dedo e ao segundo o que queremos ver, traz, juntamente com todas as vantagens, todo um conjunto de armadilhas. Uma delas é a que gosto de chamar de "A Bolha".


O que é A Bolha? Facilmente se explica: muit@s de nós temos grande parte da informação e das notícias a chegar-nos através da internet. Facebook, sites de jornais, partilhas entre os amigos, Youtube, Reddit, links, etc.. Somos nós os responsáveis por filtrar a fonte principal da informação que temos, por isso facilmente caímos no erro de escolher apenas aquelas que fazem eco do que nós pensamos, facilmente eliminamos dos nossos amigos online aquelas pessoas com quem não nos identificamos ou que vão contra os nossos valores. O resultado? Perverso.

Outfit | Yellow Rain

Let's lighten up the mood. O céu está a cair, anda tudo a voar de um lado para o outro e o mundo está todo virado do avesso. Woo hoo! Valha-nos o amarelo para alegrar os olhos e deixar-nos - ou deixar-me! - com mais energia do que a que este tempo miserável (mas necessário, eu sei) me está a permitir ter.

Biker jacket - Bershka | Jeans - Pimkie | Sweater & Scarf - Local Store | Shoes - Sfera
Fotografia de José Santos


Vá, não exagerando, ando preguiçosa e sem vontade de fazer nada. Pronto. Mas enfim. Aproveita-se o tempo tristonho para pôr as séries em dia, trabalhar para o novo projecto da in skene (shameless adevrtiding here uhuh!). E ocasionalmente, nos intervalos da chuva, tiram-se meia dúzia de fotos em cinco minutos, para a seguir voltar para assistir a ensaios em três línguas com génios criativos. Fine by me!

Fórum de Ideias | Síria

Não preciso de muitas palavras para este post. Já tod@s vimos as notícias, as imagens espalhadas pelo facebook - imagens que me quebram o coração mas que, por respeito aos afectados, não vou partilhar aqui. E sim, também eu me junto ao "rebanho", mas será que isso é mau quando é quase a única coisa que podemos fazer? Usar a nossa voz para tentar que quem de facto tem poder intervenha de alguma forma e pare com o horror. Embora seja importante ver as imagens para nos abrir os olhos, há sempre mais alguma coisa que podemos fazer.

Imagem EPA
Tomo a liberdade de copiar na íntegra um post da
One Woman Show. Ela esteve junto de alguns dos 5 milhões de refugiados, junto de quem fugia do terror. Ela viu com os próprios olhos o que a guerra pode fazer. E se é difícil para a maioria de nós estar no terreno, que pelo menos que tenhamos consciência do mundo em que vivemos e que aproveitemos esta era digital para juntarmos vozes. A história repete-se...em versão TL:DR, se quiserem agir:




E-mail do Ministro dos Negócios Estrangeiros: gabinete.ministro@mne.gov.pt
E-mail para apelo às Nações Unidas : portugal@un.int
Deixei o texto que enviei nos e-mails no fim deste post, se quiserem copiar ou usar como base.

"É um post LONGO e a maioria está aqui para ver como seria se fosse uma celebridade, mas quem me conhece sabe que esta é uma questão que faz parte da minha vida e que só gostaria de um dia conseguir exprimir tudo isto cá dentro para quem quiser saber.


Photo | A Beautiful Week | Fevereiro

Fevereiro foi um mês estranhamente curto - parece que o tempo tem passado a voar este ano! - e por isso estas fotos são uma mistura de momentos aproveitados e de produção em massa, que honestamente me deixaram satisfeita com os resultados (excepto com o da semana seis, mas enfim!). Assim sendo, e sem mais demoras, estes foras os desafios de Fevereiro do nosso A Beautiful Week, com base no curso Capture Real Life in 52 Weeks do blog A Beautiful Mess!

Week Five - Macro

Tempos houve em que pensava que este era o meu tipo de fotografia. No entanto, e assumindo que há imagens absolutamente brutais conseguidas com macros, a tendência de fotografar naturezas mortas ou pormenores muito pequenos não é o que me atrai, pelo que acabo por relevar este estilo. Este mês tentei dar a volta à questão: repesquei os meus anéis de macro e procurei detalhes com história na aridez do meus pequenos cactos e na secura dos meus lábios.



Enjoy + Fórum de Ideias | Movie 36 | On being Human

Fevereiro pede Oscars: como mês que antecede a cerimónia, traz-nos sempre boas sugestões e boas memórias. Por isso, este mês foquei-me em filmes que poderão vir a ganhar ou que ganharam o Oscar de Melhor Filme. Estar nomeado ou vencer este galardão por norma é sinal de que estamos perante uma excelente obra, e devo dizer que nenhum deles desiludiu.


Três filmes tão distintos entre si, mas que me permitiram encontrar uma temática comum: pensar sobre o comportamento humano face ao seu papel no mundo e à sua missão na vida. A verdade é que facilmente encontramos esta questão nos três filmes: a dúvida e a incessante procura pela acção mais correcta em A Forma da Água; a ânsia de ser útil e a necessidade de mostrar o valor do próprio em Uma Mente Brilhante; a procura pela justiça e pela compensação de um passado familiar, ou, por outro lado, a procura do sucesso sem olhar a meios em The Departed.

Bom, mas se pensarmos nisso, não será qualquer filme, qualquer história, arriscaria dizer até, qualquer vida, sobre isso? Sobre a constante dúvida de Ser: o que é? Como Ser? Uma discussão metafísica sem fim, uma procura incessante do que dará sentido à nossa vida, de saber o que fazer, quando fazer, que no fundo resume muitas das dúvidas que qualquer pessoa terá, assim que vê satisfeitas as suas necessidades básicas. Cada um terá uma visão distinta: é algo simples, fácil, ou terrivelmente complexo e impossível de definir? Dependerá da nossa visão do mundo, das nossas experiências, da nossa personalidade. O único facto é: tudo isso, combinado de tantas formas quantos os vários caminhos que a vida pode tomar, faz de nós quem somos, faz de nós únicos, e dá sentido ao que fazemos.

A Forma da Água conta-nos a história de uma jovem que encontra uma companhia improvável. Num mundo de palavras e guerras, encontra a paz e um igual no ser mais único que alguma vez vira. Um filme com uma história interessante e bonita, embora não arriscasse dizer que muito original, mas que recomendo vivamente por toda a imagem e imaginário que nos propõe: a fotografia, a banda sonora e todo o trabalho de realização têm como resultado um filme verdadeiramente bonito, muito ao estilo do Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulin e que ainda assim consegue tocar alguns pontos polémicos e largamente discutidos na nossa sociedade.


Enjoy + Personal | Playlist para 2018

O melhor estímulo para me fazer viajar sem sair do sítio, sentir coisas que não são minhas, emocionar-me, animar ou entristecer. Perguntem ao meu encenador - se me querem dobrar, é só adivinhar a música certa! A visão é o meu sentido de criação, mas a audição é o meu sentido de inspiração. Crio histórias completas, visões, imagens na minha cabeça, se me derem uma boa banda sonora para isso. Dêem-me uns headphones com graves poderosos e um bom som, e que me deixem mexer-me à vontade, como estes aqui, e sou uma rapariga feliz - ou triste, ou melancólica, ou doida, ou...you name it.

Headphones - c/o Banggood
Estão a ver aquelas pessoas que vão a concertos e ficam quietas a gravar tudo no telemóvel? Sou tão o oposto que corro o risco de me tornar chata: canto a pulmões cheios, salto como se não houvesse amanhã, choro a ouvir uma balada ou a minha música - poderão imaginar o estado em que fiquei a ouvir a Fix You quando vi os Coldplay, e podem imaginar quão cansada estava no fim do concerto dos [reis] Foo Fighters. Não me censurem: eu sei que pareço uma pita histérica, e se calhar até sou. Se isso for sinónimo de aproveitar ao máximo a oportunidade de ouvir ao vivo e no seu melhor aquilo que outros criam com tanta paixão e que me transmite tanto, seja. Mas prometo que não calco ninguém, até me porto bem!

Outfit | Punk is not dead

A primeira reacção a este meu cabelo semi-azul fora de quem me vê todos os dias foi da Catarina: "Punk is not dead!", she said. E ficou-me na cabeça. Uma viagem aos anos 2000, em que eu tinha um corte de cabelo à scene kid, e em que um dos meus maiores desejos era fazer madeixas azuis ou vermelhas no cabelo - desejos esses sempre frustrados porque felizmente os meus pais têm mais juízo do que eu. Nunca pensei que fosse com 26 anos, mulher feita, que ia ver o meu cabelo ganhar cores de fantasia.

Coat - Thrifted | Jeans - Springfield | Turtleneck - Rosegal | Shoes - Converse
Fotografia de José Santos


A verdade é que foi impossível não bater uma nostalgia dos meus tempos de emo wannabe. Da altura em que o meu roupeiro e gavetas estavam cheios de preto, branco, vermelho, roxo, riscas e pied-de-poule, e a única maquilhagem era o risco preto à volta dos olhos. Não era completamente emo, faltava-me ouvir punk rock com fervor e sempre fui demasiado alegre e risonha para encaixar no estereótipo, mas quem não me conhecesse era facilmente enganado. Assim como acontece hoje, bem sei.

Foodie | Peebz

Eu sei, a secção foodie deste blog parece um catálogo de hambúrguerias do Porto! Não me culpem, por favor. Eu sou uma moça que gosta de hambúrgueres artesanais e dedico-lhes alguns dos meus passeios. Hoje trago-vos um gostinho do Peebz, um restaurante na Foz do Porto, onde fomos no nosso #NatalemAgosto (lembram-se de vos falar dele aqui?). O Peebz é também um dos restaurantes aderentes ao Zomato Gold - um serviço com o qual podem ter um prato gratuito na compra de outro, e um desconto de 25% na subscrição se usarem o meu código JOANAI.





Moda & Companhia | I'm Your Valentine

Chegou o dia: para alguns, o mais meloso, o mais esperado, o dia de todas as declarações e em que ser piroso é requisito!; para outros, só mais um dia; ou, se forem como eu, a desculpa perfeita para mais uma saída ou um jantar especial a meio da semana. Olá São Valentim! É certo que não devíamos precisar de desculpas, mas sejamos sinceros: a vida muitas vezes faz-nos correr de tal maneira que retiramos os momentos especiais da nossa rotina, mesmo sem querer.

É por isso que, mesmo não sendo de todo fã de corações e rosas e peluches, gosto de me "empriquitar" um bocadinho mais, ter um jantar especial, e um passeio pela baixa ou um serão de cinema com direito a cuddles. E, por isso, trago-vos hoje algumas sugestões da Zaful dedicadas ao São Valentim, para se sentirem com aquele extra no dia de hoje! E se não têm um valentine, não pensem que este dia não é para vocês: celebrem as pessoas importantes da vossa vida, ou saiam com @s amig@s e façam um anti-valentine's day!

1 | 2 | 3 | 4
Se vai haver jantar pipi (como eu gosto de lhe chamar!), aproveitem para dar tudo na secção do "hoje é dia de me arranjar"! Um vestido bonito, mais ou menos feminino, um conjunto romântico mas que seja a vossa cara, ou uma peça que vos faça sentir extra-confiantes. Estas são ao meu gosto, mas, acima de tudo, usem algo que vos faça sentir confiantes!

1 | 2 | 3 | 4
Esta é mais a minha onda: aproveitar a noite para relaxar, ver um filme, e aninhar-me no sofá com ele e enchermo-nos de mimo. E para isso não é preciso estar de pijama - conforto e confiança é possível!