Outfit | Punk is not dead

A primeira reacção a este meu cabelo semi-azul fora de quem me vê todos os dias foi da Catarina: "Punk is not dead!", she said. E ficou-me na cabeça. Uma viagem aos anos 2000, em que eu tinha um corte de cabelo à scene kid, e em que um dos meus maiores desejos era fazer madeixas azuis ou vermelhas no cabelo - desejos esses sempre frustrados porque felizmente os meus pais têm mais juízo do que eu. Nunca pensei que fosse com 26 anos, mulher feita, que ia ver o meu cabelo ganhar cores de fantasia.

Coat - Thrifted | Jeans - Springfield | Turtleneck - Rosegal | Shoes - Converse
Fotografia de José Santos


A verdade é que foi impossível não bater uma nostalgia dos meus tempos de emo wannabe. Da altura em que o meu roupeiro e gavetas estavam cheios de preto, branco, vermelho, roxo, riscas e pied-de-poule, e a única maquilhagem era o risco preto à volta dos olhos. Não era completamente emo, faltava-me ouvir punk rock com fervor e sempre fui demasiado alegre e risonha para encaixar no estereótipo, mas quem não me conhecesse era facilmente enganado. Assim como acontece hoje, bem sei.



O meu cabelo é um espelho de mim? Não sei. Serei então um camaleão, alguém que não pára nunca, que quer constante mudança? Tem dias, sim, mas nem sempre! Serei uma rapariga sem medo de arriscar e que gosta de ser diferente? Meh, not really. O cabelo pode estar sempre a mudar, pode ir para os cortes "à Joãozinho" e mudar de cor de uma semana para a outra, mas a Joana que o leva é a mesma miúda cautelosa, bem comportada e com medo da mudança - mas um medo que não paralisa nem afugenta muitas vezes, felizmente. A mesma de sempre, mais crescida, e mais consciente de que há mudanças que não podem ser negadas só por medo, e outras que têm que ser rejeitadas quando se sabe que não é pelo melhor. O espelho não conta tudo o que vai cá dentro - dá-nos pistas, mas, já diz a voz popular...nunca julgar um livro pela capa.


No fundo, somos uma junção de tanta coisa diferente que nunca saberemos nada sobre alguém só num primeiro olhar. Por muito conservador, maluco, desleixado ou exagerado que alguém pareça: o estilo diz muito sobre nós, mas nunca dirá tudo. 


6 comentários :

  1. está brutal o teu cabelo :) beijinho

    https://iispinklove.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito deste post. Concordo plenamente que o livro não se julga pela capa, logo, o nosso visual não deve ser categorizado num estereótipo. Parabéns! Adoro a cor do cabelo btw ^^ Beijinhos :)

    O meu blog: missdeblogger.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. "O meu cabelo é um espelho de mim? Não sei. Serei então um camaleão, alguém que não pára nunca, que quer constante mudança? Tem dias, sim, mas nem sempre! Serei uma rapariga sem medo de arriscar e que gosta de ser diferente? Meh, not really. O cabelo pode estar sempre a mudar, pode ir para os cortes "à Joãozinho" e mudar de cor de uma semana para a outra, mas a Joana que o leva é a mesma miúda cautelosa, bem comportada e com medo da mudança - mas um medo que não paralisa nem afugenta muita vezes, felizmente. A mesma de sempre, mais crescida, e mais consciente de que há mudanças que não podem ser negadas só por medo, e outras que têm que ser rejeitadas quando se sabe que não é pelo melhor. O espelho não conta tudo o que vai cá dentro - dá-nos pistas, mas, já diz a voz popular...nunca julgar um livro pela capa."

    Tão, mas tão isto ^sempre! <3

    ResponderEliminar
  4. Que fera, Jiji!!!!
    Esse texto a acompanhar fez tanto sentido para mim... Com o passar dos anos, o nosso estilo é testemunha de tanta coisa, e é sempre boa a nostalgia de revivermos certos tempos, por determinados aspetos!
    Estas tuas fotos estão um máximo! *0*

    LYNE, IMPERIUM

    ResponderEliminar
  5. nao consigo ver o azul, opaaaa!!! mas deve ficar te brutal <3
    e eu nc deixei de ser uma emo ahahha no entanto concordo plenamente com o que tu dizes, o nosso estilo nunca dira tudo sobre nos. muita gente pensava (em especial nos meus teen years, de crista e cheia de furos) q eu era uma drogadona e so queria festas pra cabeça e afins, quanto eu era completamente o oposto ahahah
    its fun.

    https://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Jiji! Como já te disse esse cabelo ficou um máximo!
    E ri-me tanto porque também passei por uma fase emo, tinha um franja cortada por mim em casa (terrível) e as tais calças com um padrão aos quadrados roxo e preto. Algo que nunca usaria agora.
    Quanto ao cabelo, faz o que sentires, arrisca, deixa crescer, corta curtinho, o que te apetecer! Who cares, desde que te sintas bem e a verdade é que parece que a ti fica tudo bem :)

    ResponderEliminar