Personal | Bloqueios

Fases. Acho que tod@s já passamos pelo "porque é que faço isto?" - sendo "isto" escrever, fotografar, representar, ou qualquer outra coisa que requer a nossa criatividade e tempo livre -. Tenho feito esta pergunta a mim mesma muitas vezes, e é fácil perceber que este estaminé tem andado mais parado do que é habitual. Encontro de imediato uma resposta na alegria que tenho ao capturar uma imagem de um momento genuíno, ao discutir algum assunto convosco lá em baixo nos comentários, ao sentir a alegria de pisar o palco e brincar ao faz de conta. Mas nem sempre é fácil motivar-me quando tudo parece abrandar e arrefecer - o esforço para recuperar o ritmo tem que ser posto em prática, e nem sempre temos o mindset correcto para dar o próximo passo. Nem sempre a nossa percepção do que fazemos está alinhada com a percepção dos outros e isso deixa-me a perguntar "para quê?" e "será que eu sei o que estou a fazer?"...


Não tenho dicas ou soluções milagrosas. Às vezes o melhor é mesmo reconhecer este estado de espírito e bom, analisar prioridades. Se preciso de tempo para a actividade x e isso implica aliviar a actividade y, assim seja. Se tenho a cabeça noutro sítio e não consigo focar-me a 100%, posso tentar trabalhar com os 75% que ela me dá e ver o que sai daí - se for bom, provavelmente consigo motivar-me; se não, guardo para outra altura. Já falei sobre como alimentar a criatividade neste post e talvez esteja na altura de lhe dar também um pouco de atenção. O que sei é que não posso - nem quero - largar o osso. As nossas paixões são o que alimenta os nossos momentos felizes, desde que venham com equilíbrio à mistura, e deixar isso desvanecer seria negar uma parte de nós.

Sei que é temporário, mas ando num misto de falta de vontade com um "síndrome de impostor" que me gela, me desmotiva e me paralisa. Racionalmente tenho as ideias, sei o que fazer, sei o que consigo e não consigo (ou tenho medo?) pôr em prática, mas há algum click que está em falta.

Questiono-me se estarei a ser alvo da tão famosa "comparação" - e isto só me ocorreu agora mesmo, ao ver este vídeo da Anna Akana. Dou por mim a sentir uma ponta de inveja que de imediato leva uma sapatada e é substituída por alegria ao ver o sucesso de outr@s, mas não posso deixar de notar que ela aparece. E que deixa uma vozinha pequenina na minha cabeça que diz "se soubesses o que estás a fazer já tinhas chegado aqui/ já te tinhas lembrado disto/ já... [whatever]". Não sei se alguém sente o mesmo com algo que eu faço, mas a percepção que tenho é de um claro e redondo "não". Esta nossa mania tão millennial de querer mudar o mundo, fazer algo que nos complete, ter uma voz, acaba por me invadir a cabeça e fazer-me pensar que na verdade ando aqui a arrastar-me pelos dias sem fazer nada decente. Aquele vídeo do Sean Tucker explica bem todo este processo - aliás, recomendo vivamente qualquer vídeo dele!.

[Raios. Não estava à espera que este texto ficasse tão deprimente, perdoem-me!]

Vou revisitar quem me inspira e o que me inspira. Vou deixar-me respirar, aprender e criar sem obrigações. Fazer uma pausa por aqui - trarei o A Beautiful Week e o Movie 36 (de Agosto, Setembro e Outubro - sou uma vergonha!), porque se faço os compromissos, fico miserável se não os cumprir - mas de resto fico-me pelo Instagram quando me apetecer e volto daqui a umas semanas. Vou ter uma viagem pelo meio por isso a pausa até vem em boa altura. Voltarei com ideias, com posts escritos como deve ser e não como um vómito de palavras e em cima do joelho, com cabeça para criar o que gosto, como gosto. Porque mais do que estar por aqui "porque sim", quero estar por aqui porque quero e porque tenho algo para vos mostrar.

Fica o desabafo. Não é um pedido de validação ou um "olhem para mim!", é um "preciso de um tempinho para aprender mais e realinhar ideias, mas já volto!". Sabendo que vou continuar a dar notícias entretanto (olá Instagram e Facebook) e que não quero deixar este meu canto ao abandono: 

Até já! <3 


10 comentários :

  1. Concordo quando dizes que sofremos do síndrome millennial. Queremos fazer tudo, mudar tudo, ser tudo. E isso tanto nos ajuda como nos prejudica. Acho importante valorizarmos os nossos tempos e respeitar os nossos "bloqueios" para surgirmos depois com outras ideias, muitas vezes renovadas.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Sim acho que por vezes nos tornamos demasiado críticos e queremos fazer tudo ao mesmo tempo. Por vezes não fazer nada e dedicar tempo a nós (algo super importante) não é nada mal pensado. Quando forçamos os nossos bloqueios, sai mais vezes porcaria do que coisas boas xD
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Compreendo que precises desta pausa. Estive em pausa de Julho a Setembro e nunca o tinha feito desde 2011, data em que criei o blog. Mas senti que não conseguia mais.
    Passava a vida a comparar-me a outros, a questionar o meu crescimento, o meu conteúdo, tudo o que fazia porque estava estagnada. A pausa fez-me ver que não é pelos outros mas por mim. Se eu gosto, que escreva! E caramba, se gosto!

    Fico à espera que voltes em pleno! 😘

    ResponderEliminar
  4. Ficamos à tua espera, melhor que nunca! Força. <3
    Um beijinho,
    http://myheartaintabrain.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. É isso mesmo mulher!
    Parar e respirar... encontra-te ;)
    um abraço, Ana Rita Leite

    WHITEDAISY

    ResponderEliminar
  6. Passei por isso, e ainda não voltei... Mas espero que tu voltes, porque eu gosto muito de ti, e aqui nunca é "mais do mesmo". ser feliz é o mais importante, e se neste momento implica uma pausa, seja. Beijinhos, vai lá ser feliz ! (mas volta)

    ResponderEliminar
  7. Acho que cada vez mais temos com que nos ocupar e por isso é natural que tenhamos que fazer opções. Acho que não há nada a censurar nisso. Vamos e voltamos sempre que nos faz sentido e isso é saudável.

    ResponderEliminar
  8. Olá. Encontrei este post e que bem que ele me caiu, pois há umas semanas que me ando a sentir assim.
    Criei um blog pelo puro prazer de criar fotografias e de escrever, mas depois veio toda a informação de "guias para blogueiras" e "blogging" que uma pessoa começa a ficar obcecada com os resultados e com as estatítsticas e isso é muito desanimador. Depois encontramos pessoas do nosso nicho que já chegaram a um patamar "tcharan" num ápice e questionamo-nos porque é que não conseguimos chegar lá? :/ É preciso desligar a ficha e reencontrar a motivação que nos fez querer cirar conteúdos.

    ResponderEliminar
  9. Juro, adorei! É algo que ninguém fala disso mas que todos nós sentimos em alguma altura da vida. Mas acredito que seja mesmo isso, fases.

    Gostei mesmo muito desta publicação e já estou a seguir o blog :)

    She Walks Blog
    It's Shewalks Instagram

    ResponderEliminar

Obrigada por estares por cá! Venha daí a tua opinião - o respeito é a única regra da casa! :)