Personal | Alimentar a criatividade

Há dias em que não há nada que nos saia. Nada que pareça fazer sentido quando encostamos a caneta no papel, ou os dedos no teclado, ou a mão na câmera fotográfica. Mas nem todos esses dias são um beco sem saída!


A inspiração, ou o que lhe queiram chamar, não me parece que seja obra do acaso divino. Só teremos algo para partilhar com o Mundo caso nos deixemos alimentar pelo que ele nos mostra, ou pelo que ele nos faz sentir. (Por isso é que acredito que muito poucas são as ideias verdadeiramente originais ou vocábulos semelhantes, mas isso é tema para outro post) Assim sendo, deixo-vos hoje com algumas das estratégias para que uso para alimentar a criatividade:


1. Não fazer absolutamente nada quanto a isso.

Sim, eu sei, parece não fazer sentido. Mas tod@s sabemos que às vezes insistir só nos traz frustração e, consequentemente, mais bloqueios. Este não está em primeiro lugar por acaso: importa aceitar que temos dias não, principalmente quando isso diz respeito a hobbies ou a trabalhos criativos. E bem, há sempre trabalho para fazer nestes dias! Sejam tarefas que não estão de todo relacionadas com o que queremos criar, ou arrumar materiais, ou limpar arquivos, ou responder a e-mails e comentários. Ou ouvir música e ler um bocado, ou ir tomar um café, claro. Amanhã também é dia - desde que não haja um deadline envolvido, claro!


2. Ler.

Um bom livro, crónicas sobre o tema sobre o qual querem criar, blogs, revistas ou outro tipo de conteúdo. Vale tudo, desde que alimente o vosso cérebro. Quando estou à procura de ideias ou de "vontade" para escrever ou fotografar, por norma foco-me em leituras mais curtas: artigos online, posts, tutoriais, ou mesmo algo que saia completamente fora da minha caixa. Depois, deixo as ideias marinar, sem pegar nelas logo a seguir para não me deixar prender pelas referências que adquiri.

Revista Calm
Uma das melhores leituras nesta onda que tive nos últimos tempos foi a Revista Calm, uma revista com um conceito mesmo interessante que fiquei a conhecer no Bloggers Camp deste ano (falei-vos dele aqui!). A Sara apresentou-nos o seu projecto com muito amor e foi impossível não gostar logo às primeiras páginas: é uma leitura que nos enriquece, com muitas ideias para projectos, DIY, e novas perspectivas sobre alguns aspectos do dia-a-dia, e tudo regado com uma estética impecável e cheia de elementos que podem sair das páginas e passar a fazer parte da nossa decoração ou mesmo do nosso dia-a-dia. Recomendo!




3. Ver vídeos.

Felizmente, o Youtube tem muito mais do que canais com temas leves, vlogs, e vídeos parvos - nada contra esses, que também aprecio e muito, mas há muito para aprender por lá! Alguns dos meus canais preferidos dão-nos grandes ideias no que diz respeito a fotografia e a discussão de alguns temas interessantes. Espreitem, por exemplo, estes aqui, de diversas categorias:

Fotografia: 

Trivia: 

"Crónicas" e Outros: 
JoutJout, New Age Creators (onde participa a fantástica Ana Marta, que nos deu um workshop de vídeo impecável no BC), Anna Akana


4. Escrever (tirar notas).

E isto diz respeito aos momentos em que de facto temos ideias. Mulher prevenida vale por duas, já diziam os antigos - vale para os homens também! A quantidade de vezes que já recorri aos meus rascunhos de posts aqui no Blogger ou aos meus rabiscos espalhados pelos meus mil caderninhos para decidir o que iria escrever confirma que é muito útil fazer isto. Não percam a oportunidade: tenham sempre um caderninho pequenito como estes da Nuts for Paper convosco ou usem as notas no telemóvel. As ideias podem chegar a qualquer momento e não há desculpa para as deixar cair no vazio da memória!

Cadernos Nuts for Paper para o Bloggers Camp (2015, 2016 e 2017)

5. Ouvir música que saia da vossa zona de conforto.

Esta pode ser mais pessoal - cada um de nós reage a diferentes estímulos de forma distinta - mas para mim ouvir músicas que não conheço desperta a minha atenção e deixa-me mais alerta a cada variação que ouço. E, inevitavelmente, isso acaba por de certa forma "arejar" o meu cérebro e deixá-lo mais desperto e disposto a pensar em novas ideias.


6. Rever trabalhos antigos.

Por último, por ser um "fecho de ciclo" e não por ser menos importante, está a auto-crítica e a visão que temos de nós mesm@s. É importante termos consciência da nossa evolução, das capacidades que vamos adquirindo e do que podemos melhorar. Faço isto frequentemente com as minhas fotografias: muitas das imagens que há uns anos - meses, até! - me pareciam muito boas na altura, têm agora defeitos que vejo sem qualquer dificuldade. Não se trata de desmerecer o que fazemos, nada disso - a evolução implica passar por estados de menor desenvolvimento e não há problema nenhum nisso! - mas sim de conseguir ver o que já conseguimos melhorar e aquilo em que podemos trabalhar mais. O passo seguinte é óbvio: procurar meios para crescer e aprender mais!

O resultado de um exercício de avaliação de nós mesm@s e d@s outr@s que fizemos no BC com a Susana da Bless Woman - descobri muito sobre mim e sobre a visão que têm de mim a fazê-lo!
Sei que muitos destes conselhos são básicos, mas quantas vezes não nos esquecemos das soluções mais fáceis?! Partilham algum destes pontos comigo? Quais os vossos melhores truques?


9 comentários :

  1. Eu leio bastante, oiço músicas que me apaixonam, dou um passeio à beira-mar ou visito espaços catitas <3

    Um beijinho, minha Jiji!
    www.keke.pt

    ResponderEliminar
  2. Adorei o post! Por vezes temos imensa falta de criatividade e estas dicas são super úteis <3 beijinho

    Inspiring

    ResponderEliminar
  3. Gostei das dicas :) Pode parecer estranho mas o que mais me ajuda a escrever é ouvir música associada aquilo que quero escrever. Ou seja, se quero escrever sobre uma viagem ouço em loop uma música que ouvi durante a mesma, se quero escrever sobre um filme ouço a banda sonora enquanto escrevo... Nem sempre consigo associar músicas mas quando consigo, resulta sempre.

    ResponderEliminar
  4. Olá Jiji! Obrigada pelas dicas, sempre pertinentes! Algumas dessas coisas eu já faço como ler e ver vídeos no youtube, sempre com o intuito de aprender e para me inspirar! Beijinhos *

    ResponderEliminar
  5. Ler ajuda-me sempre bastante! Tens aí ótimas dicas!

    Beijinhos. Há Giveaway a decorrer no blog! Participa e subscreve a Newsletter do blog!
    That Girl | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar
  6. O 1º é bem verdade. As vezes é necessário dar um pouco de espaço para correr melhor depois.
    O 2º e 3º ponto que falas para mim também são essenciais. Ajudam-nos a organizar ideias, a ver pontos de vista diferentes e claro, aprender sempre alguma coisa! :)

    Adorei as tuas sugestões ligadas à fotografia! Já estão nos meus favoritos. E a Jout Jout é aquele amor sem fim <3

    Beijinho*
    It's Ok

    ResponderEliminar
  7. Este post está mega. Quantas vezes não precisamos destas dicas para não cair no buraco que é a falta de inspiração. Eu leio muito, mas a dica que mais uso é sem dúvida a primeira. Se não dá para escrever hoje não forço, deixo para amanhã, foi uma coisa que aprendi no BC e tem resultado muito bem mesmo. Antes ficava chateada se não publicasse, agora já não, já aprendi que não preciso de me chatear, a inspiração volta amanhã.
    Beijinhos Jiji, gosto muito de te ler.

    ResponderEliminar
  8. Nunca tinha pensado nessa avaliação de ouvir músicas fora da zona de conforto. E agora que penso nisso, consigo dar-te a razão! ☆

    LYNE

    ResponderEliminar
  9. Antes de mais nada, as FOTOS com que nos presenteias neste post são lindíssimas e, por si só, uma gigante inspiração.
    Como dizes, às vezes forçamos demasiado a criação e a procura pela inspiração «certa», porém, diz-me a minha breve experiência que é, precisamente, quando menos espero que a inspiração vem toda.
    Os conselhos que dás são muito daquilo que me motiva a escrever e que me faz também querer sair da zona de conforto.
    Obrigada por todas as dicas. Vou perder-me nos canais de youtube que recomendaste.
    Beijinhos <3

    ResponderEliminar